quinta-feira, 3 de julho de 2008

George R. R. Martin no Porto


The Prophet came out of the South with a flag in his right hand and an axe handle in his left, to preach the creed of Americanism. He spoke to the poor and the angry, to the confused and to the fearful, and in them he woke a new determination. For his words were like a fire in the land, and wherever he stopped to speak, there the multitudes arose to march behind him.

Se conhecem bem o vosso Martin, não deve ser difícil identificarem a citação que transcrevi acima (e não, não é da Song of Ice and Fire). Enfim, Martin é mais do que um profeta, não sei se trás ou não pendão e machado, e certamente não vem pregar o Americanismo. Mas vem do Sul (Lisboa), onde a sua oratória já inflamou centenas de entusiásticos fãs, e é bem certo que onde quer que pare para apresentar o mais recente volume da sua saga épica, erguem-se multidões que empunham os volumes novinhos em folha para serem autografados.

Eu também já tenho os meus aqui numa saquinha e, com grande trepidação, vou arrancar agora de carro para o Porto onde vou ter o enorme prazer de apresentar George R. R. Martin no Auditório da FNAC do Norte Shopping, logo mais, por volta das 18h30. Portanto, legiões de fãs do Martin a norte do Mondego, ponham-se em marcha e ajudem a encher o auditório (o que não deve ser difícil, pois mal cabe lá meia centena de pessoas). Ao mesmo tempo, é uma óptima oportunidade para conseguirem um exemplar autografado da Tormenta de Espadas, já que o volume só chega às livrarias portuguesas com a canicula de Agosto.

Vejo-vos por lá.

8 comentários:

Ricardo disse...

Há tantos anos que não leio o Armageddon Rag. Lembro-me que no Tuf Voyaging também havia um profeta. Já confundo os enredos todos. E não tenho a capacidade de memória fotográfica de vós que se lembram com a precisão a posição de cada vírgula.

Enfim, de qualquer forma esse excerto só me relembrou o quanto Martin escrevia bem e o quão baixo desceu.

Luís Rodrigues disse...

Espero que ao menos a sessão no Porto tenha sido mais variada em matéria de temas e perguntas. Quem ouça os fãs portugueses do GRRM falar, fica com ideia de que a carreira dele só começou com o "A Song of Ice and Fire", e não 20 anos antes.

Francisco Norega disse...

Mas o que é facto é que em Portugal só é conhecido, para a maioria do público, pela SoIaF. Eu estive lá, ele assinou-me os livros e eu fiz-lhe uma pergunta.
Estou feliz :D xD

João Seixas disse...

Olá Ricardo, Luís e Francisco:

a) Ricardo: Boas tentativas! Não é nenhum deles. E também não é do meu favorito, o magnífico "Fevre Dream";

b) Luís: Tentei que a apresentação não se centrasse exclusivamente na SoIaF; até porque gosto bastante mais dos livros anteriores dele, nomeadamente o Fevre Dream, o Armageddon Rag e os insuperavelmente deliciosos Wild Cards. Tentei que se falasse um pouco de todos eles, e da passagem dele pela televisão.

c) Francisco: Claro que, tal como o Francisco sublinhou, a maioria dos fãs portugueses só o conhece pela SoIaF, e a maioria das perguntas do público prendeu-se com a saga. Quem sabe se vemos mais alguma coisa dele publicada por cá.

Interessante, interessante, foi jantar com o Martin depois: consegui preencher umas lacunas importantes naquelas coisas que não se podem escrever nas introduções publicadas, nem dizer nas entrevistas...

Luís Rodrigues disse...

Francisco: Tudo bem, mas quem lê em inglês não tem muitos argumentos para dizer que não conhece a obra anterior. Contudo, nas duas sessões de Lisboa em que estive, quase todos os livros em inglês que o Martin assinou eram precisamente do "Song of Ice and Fire".

Excepção feita para o João Barreiros, que parece ter levado tudo *menos* os romances de fantasia.

Francisco Norega disse...

João, isso era muito bom. Estou curioso em relação à FC dele.

Luís,
Cá no Porto só houve um rapaz a levar algo que não a SoIaF, a BD The Hedge Knight.

Safaa disse...

Francisco, a BD do Hedge Knight pertence ao universo do Song of Ice and Fire... é uma prequela.

João Seixas disse...

Diria mesmo mais: é uma adaptação de uma prequela, mais concretamente do conto The Hedge Knight, que estreou a série de prequelas DUNK & EGG, mais concretamente na primeira antologia LEGENDS, editada pelo Robert Silverberg em Setembro de 1998, ou seja, há quase dez aninhos.